domingo, 18 de novembro de 2012

...



Hoje, e assim como tem sido meus dias. Eu quero amar. Amar muito, como se cada dia fosse único, como se não há mais nada importante a não ser, eu e ele – no mesmo embalo, no mesmo ritmo da canção mais bonita, em notas românticas e singelas. Que a paixão, carinho, ternura, lealdade, surjam no mesmo entoar, e essa melodia nos façam dançar no mesmo compasso. Faz silêncio, que hoje eu quero amar – amar nesse embalo único. Que eu seja a única musica que ele queira dançar. Que eu seja o sorriso que te faz sorrir. Que eu seja pra você, a alegria de uma chegada. A confiança, o que te faz sonhar todo dia, que você pode mais. Que eu seja, como o nascer do sol – que só traga bons suspiros a cada novo dia. E deixe o que o mundo quiser falar, não há nada mais emocionante, ou mais singelo do que esse sentimento que me completa a cada dia. Esperei tanto nessa vida, encontrar um grande amor assim, sonhei tanto com momentos assim, e finalmente ele chegou. E você vem me fazendo, pensar, sonhar, fazendo acreditar no amor, agora vou voando nesse sentimento – vou amar você. Baby, te quero tanto. Estou amando você!

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Perfume de momentos bons


São as lembranças constantes, os bons momentos vivenciados diariamente. Paixão que paira no ar. Os olhos, a boca, o cheiro impregnado na roupa. Ventania, brisa fraca – que surgiu e deixou a sensação boa. Então, paro e penso constantemente nesse sentimento, e quando longe – quando ao fechar os olhos, o coração padece. E tem sido presente em pensamento, desde o dia em que o viu pela primeira vez. E tem sido assim desde então, e quanto mais pensava em fugir, veio o destino e me aproximava mais, seria coincidência ou o destino mesmo fazendo exigência – vai tenta, se abre, tenta ser feliz, e se for dessa vez?! E assim tem sido. A cada abraço – momento que parece que não tem fim, como estar protegida. O perfume – esse cheiro inesquecível, e venho viajando nos seus trejeitos. E que esse cheiro, essa sensação vem atingindo meu ápice, e quão bom tem sido tudo isso. E dentre esses momentos, vou pedindo encarecidamente, que seja doce, que dure, que não acabe. Apareceu como um vento, no meio do deserto e tem sido como o por do sol, o sol que se põem para a chegada de uma noite tranquila. 

domingo, 28 de outubro de 2012

Um sentimento ao despertar



Imaginar você perto de mim, não é apenas coisas da minha cabeça e sim a falta que você me faz – diariamente, quando não estamos juntos. Olhar sua foto me faz, senti-lo um pouco próximo a mim, mesmo sabendo que tenho o prazer de vê-lo todos os dias, mas, por pouquíssimas horas de um final de tarde.  Esse sentimento é verdadeiro, desejo-te completamente de coração. Meu olhar procura o seu constantemente, meu corpo sente falta do tremor que só tenho ao seu lado, quando não juntos. Meus lábios ressecam longe dos seus. O prazer é mútuo, apenas com o seu corpo colado ao meu. Eu te dou o meu carinho – com toda pureza da paixão, apenas aceite o que tenho de melhor para lhe oferecer. Pois, existe uma parte em mim, que chama só por você a cada segundo; sempre, quão grande é a vontade de ter-te aqui bem perto de mim – quão maleável torno-me quando me tomas em seus braços. Perdi momentos insignificantes – para ganhar momentos ao seu lado, onde, tornam-se, únicos e preciosos a cada dia que passa. Pois é sempre, depois desses momentos, que vou para cama com seu cheiro impregnado em meu corpo, e assim cada vez mais te tendo em meus pensamentos, sonhos...  E então assim, poder escrever no silêncio da tua ausência frases soltas, escritas junto ao meu silêncio, jurando minha paixão – e assim, esperar que cada palavra tenha algum toque de magia, e ajude-me sempre a tocar profundamente, cada vez mais, o seu coração por completo.

sábado, 27 de outubro de 2012

Sua sensação em mim



Quero seu cheiro impregnado em mim – alastrando-se pelos meus poros à dentro, invadindo-me por inteira, quero sua pele compartilhando o calor com a minha. Quero seu beijo me causando dormência nos lábios, um sorriso um suspiro a cada beijo bom, ouvir sua voz ao pé do meu ouvido me fazendo esquecer os anseios. Deixando minha mente um clarão em branco. Quero suas mãos acariciando as minhas, me fazendo entender em apenas nos gestos que nada fará nossas mãos, soltarem uma da outra – que nossos dedos ficarão cruzados até o momento em que ambos quiserem ficar juntos. Quero você preenchendo todo o meu ser. Você, só você. Quero sua presença me causando suspiros, que conto os segundos se você demora. Quero seu toque acelerando meu coração, suas mãos causando-me calafrios, arrepiando cada parte do meu corpo. Quero seu abraço, todas as noites e dias, fazendo-me sentir protegida e amada. Quero sempre as tais borboletas no estômago – no qual, só sinto, quando estou perto de você. Quero teu gosto dentro de mim, quero você. Te inalar, te fixando dentro de mim. Quero te cheirar, te provar, te sentir, te amar, te viciar, te ter sempre. Quero que esse amor perdure, seja sincero, nos faça bem, nos ensine coisas boas. Pois a você, entrego meu coração sem medo algum, porque já não sei mais ficar sem você.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

... E se...



E você se torna responsável por tudo aquilo que cativa. E hoje tu és responsável pelo sentimento que brotou dentro de mim, pelo coração que agora dispara de felicidade – absurdamente bate vigorosamente quando te vê, porém, peço encarecidamente – não o faz de bobo. Não o cative e depois simplesmente vire as costas, deixando-o entristecido. No começo tudo são flores, é lindo, tenho receio do depois. Será que vai querer ficar do meu lado por muito tempo? E se enjoar? E se aparecer outra pessoa melhor? E se você quiser ir viver o seu momento? E se... E se... E se... São tantos questionamentos que às vezes paro, e posso passar o dia pensando nesses “e se...” sem chegar a nenhuma resposta. Entretanto, a única certeza que tenho é que, é incrível como você consegue falar diretamente ao meu coração, sem precisar dizer uma só palavra, algo inexplicável, eu nunca vou conseguir explicar, o que eu ouço quando você não diz nada, mas consigo ouvir. Durante o dia posso ouvir pessoas falando em voz alta, mas quando estou do seu lado, quando me abraça, você abafa à multidão, e por um momento tudo desaparece, e fico ali a viajar no nosso momento. O sorriso em seu rosto, me faz acreditar que, você precisa de mim, tão quanto eu preciso de você. Há uma verdade em seus olhos, que me faz acreditar perfeitamente em ti. O toque da sua mão, diz que você vai me segurar onde quer que eu caia. Adoro quando toca meu corpo, como os nossos corpos, nossos corações se encontram em um único embalo. Você tem um jeito comigo, de algum modo me faz acreditar em um momento melhor, em um sonho a dois. Está no jeito de me abraçar, no jeito de você me querer, o jeito de me mostrar exatamente do que o amor é capaz. Oh, como eu te adoro, como a ninguém antes de você. Te adoro, exatamente do jeito que você é – não tem jeito de medir o quanto vale o seu amor!

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Maravilha



Sabe quando você sente que esse alguém, veio para ficar, veio para mudar totalmente o seu rumo. Como um anjo lindo, vai transformando sua vida, na mais bela sintonia, um traçado bonito – faz você se sentir única, dentro de um sentimento único. Onde em uma sinfonia perfeita, vai entoando em notas perfeitas, dentro de emoções fortes e sinceras. Um sentimento em comum se encontra, em meio a toques silenciosos, dentro de olhares em mesma direção, em meados a beijos – onde dois lábios se encontram em perfeita simetria, onde perfumes se encontram pele a pele, transformando-se em um único cheiro a se sentir. E assim dois corações vão seguindo em passos juntos, encantando-se cada vez mais um pelo outro. Maravilha – seu sorriso encontrou com o meu. Quão bom foi te encontrar meu sentimento bom, tudo aquilo que eu sempre quis – um sentimento para sentir, um coração para amar, um perfume para sentir, um alguém para cuidar, mimar, e fazer feliz. Minha vida encontrou a sua, e de sua vida quero cuidar, aninhar e assim permanecer por um bom e intenso tempo. Poder ouvir tua voz, a cada dia; viver ao lado seu, e ver a vida acontecer – meu sonho lindo, que gosto de sonhar. Meu coração foi de encontro ao seu, meu destino está junto ao seu... Meu coração é o seu lugar!

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Eu vou



Eu vou continuar deixar você falando, mesmo que o assunto não me interesse, só para ouvir o suar da sua voz. Vou continuar deixar você falar de futebol com os seus amigos, mesmo quando eu não estiver tão afim, só para poder olhar você se empolgar na conversa. Eu vou deixar você rir das coisas mais bobas e que para mim não tenha realmente graça, só para ver você sorrir. Vou deixar que você ouça as músicas que mais goste, e deixo que as cantes, ainda que eu não goste muito, só para te ouvir cantando todo bobo. Eu vou deixar que você fique me olhando até sem querer, mesmo que me deixe sem graça, só para ver como ficam seus olhos quando me observam. Vou deixar você me pedir o que quiser, só para que eu realize os seus pedidos. Eu vou deixar você ‘mexer’ comigo de alguma forma, seja me cutucando, ou até só para me tirar do sério, só para ver o seu olhar e sua boca sorrindo para mim. Vou fazer de tudo por você, só não vou deixar que você me deixe, quero estar um bom tempo com você, até o dia em que nossos corações desejarem permanecer juntos. Então deixa que eu te cuido, deixa, deixa que eu te tenha, deixa, deixa que eu vou saber te amar.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Aos céus eu peço,


Você aqui comigo, vivendo o meu a dia a dia, compartilhando momentos únicos. Poder ouvir a sua voz sempre que meu coração gritar de saudade. Que os apesares da vida, não impeça desse sentimento seguir a diante, apesar das diferenças, pois – seria um tanto difícil, me “acostumar” sem a tua presença, sem o teu carinho, sem você. Todos os dias, tento dizer-te, tudo o que estou sentindo, mais não é tão fácil assim. As palavras simplesmente não saem. Sua presença é tão perfeita pra mim. Há tempos não me sentia assim, são sorrisos sinceros, carinhos trocados com ternura. É algo tão sublime, tão real. E porque também não, tão mágico? É mágico, sim. Algo que vem arrebatando a cada dia que passa. Ah, se eu conseguisse falar tudo o que venho sentindo, saberia o quão tudo é verdadeiro. E assim vou me controlando, demonstrando pouco a pouco, assim deixando-te enxergar pausadamente o que venho tentando demonstrar, para que não te assustes, pois, pouco tempo de convivência, mais de é crescente admiração. Porem, a cada vez navegando-me em mim, acabo te encontrando a cada coisa boa que vejo em mim mesma. Esse sentimento bom, que aquece meu coração. Naquela presença fico muda, não consigo achar as palavras certas pra demonstrar tudo que está dentro de mim, e fico com uma vontade louca de beijá-lo, na ausência sinto tanta a sua falta, e uma vontade enorme de expressar a ti todos os sentimentos vindos do coração. Quão intenso, estas, ficando dentro de mim, e não posso permitir perdê-lo de vista. Penso em você a todo instante, acredite. Ás vezes mais de tardezinha do que pela manhã e cada vez mais naqueles dias que mais parecem poeira assenta e com mais força quando a noite chega – e é nesse momento que o tenho com mais força em meus pensamentos, nesse horário em que somos acostumados a nos vermos, e por questões fortes não estamos perto. E ás vezes, me pergunto até que ponto, você é tudo isso que vejo, ou se é apenas tudo o que eu queira ver – mas eu sei que não. Você é tudo isso que vejo, pelo simples fato de que é você que transparece isso a mim. Não sei se tudo o que estou sentindo estejas sentindo o mesmo, mas essa incerteza é dissipada pelo simples fato de que, se não fosses importante para mim, não alcançarias o meu coração. Aos céus entrego, seus sentidos a minha direção, nossos destinos. Que esse sentimento perdure até o momento em que nossos corações desejarem estar um próximo ao outro...

Aos céus eu peço!


Eu te quero comigo.


Chegou de mansinho e foi me ganhando pouco a pouco. Invadindo-me singelamente, e conquistando-me por completo. Foi de repente, abstrato e real – me envolveu suavemente, conquistando o seu espaço da forma que me deixou sem espaço para escapar, caso fosse necessário. E desde então, todos os dias tenho desejado seu cheiro intoxicante se alastrando pelos meus poros, desejando a tua pele compartilhando o calor com a minha. Teu beijo me causando dormência em meus lábios, a cada beijo trocado, um suspiro a cada beijo bom, um sorriso a cada brincadeira trocada entre nós. Desejando ouvir tua voz ao pé do meu ouvido, me fazendo esquecer os anseios; deixando em minha mente um clarão branco. Quero você preenchendo cada vez mais o meu vazio. Você, você... Quero sua presença me causando suspiros, seu toque acelerando meu coração, suas mãos causando-me calafrios, arrepiando cada parte de mim. E continuar a sentir a sensação maravilhosa que é está ao seu lado, como aquelas tais borboletas no estômago. Quero sentir todos os dias o teu gosto, te inalar sutilmente e sentir você impregnar em minhas veias, te fixando dentro de mim – para que assim jamais eu te esqueça. Desejo que Deus nos conceda uma alegria á dois. Meu maior presente de Divino, meu anjo do céu, de olhar brilhante a me iluminar – um sorriso apenas me leva ao paraíso, em uma imensidão sem fim. E venho escrevendo seu nome junto ao meu, a cada batida do meu coração. Eu te quero aqui comigo, ficar de encontro com seus olhos, sem “porquês”, nem “pra quês”, desdenhar os seus desejos. Me dá você pra mim... Quero te proteger, te mimar, te provar, te sentir, te amar.

Tons...



O tom passa pelos meus ouvidos, pairando pelos mesmos, e tudo que consigo escutar são as notas sublimes, que entoam sem parar. Fecho os olhos, fujo do tempo, perco-me. Sinto me perder nas horas, mais sei que os ponteiros mal saíram do lugar – a música tende a nos alucinar dessa forma, nos perdemos em canções, e no silêncio do toque, viajamos em uma imensidão. A vida é como a música – sublime, e com um final, talvez um final próximo, talvez mais longo. E como na música, deve-se ser apreciada, façamos o mesmo com a nossa vida – apreciar de forma solene, sutil. Viver e saborear o que há de melhor, o toque, o tom de cada dia, sentir a positividade de poder todos os dias acordar, enxergar o dia nascer e ter a possibilidade de rever o sol se pôr – e assim sorrir, agradecer e implorar, que no amanhã possamos fazer do dia, melhor do que esse que já estar a ir embora. 

domingo, 9 de setembro de 2012

Quero como eu quero



Quero te assistir de perto, quero que me assista. Quero estar lá para ver-te conquistar um espaço no mundo. Quero participar de suas conquistas. Quero que, conquiste-os, concretize-os. Quero que sinta o que é ter uma pessoa que gosta de você mais do que qualquer outra pessoa conseguiria. Quero fazer-te com que se sinta único no mundo. Pelo menos para mim. Quero descobrir todos os dias novas maneiras de te fazer feliz. Como eu quero te fazer feliz de todos os jeitos, de jeitos que ninguém descobriu ser possível. Quero como eu quero muito dias, passar todos esses dias ao teu lado, que todos esses dias sejam repletos de sentimento bom, enchendo-nos de felicidade e agrado por está um ao lado do outro. Quero te conhecer melhor do que ninguém. Descobrir tudo que lhe agrada, e tudo que não lhe convém. Quero que me conte os seus segredos, quero confiar os meus. E se por acaso uma lágrima cair do teu rosto, que eu possa ser o antídoto de depois o sorriso brotar. Quero ganhar sua confiança, cada dia mais. Que confie em mim os seus desejos mais profundos, que não me esconda o que te magoa, machuca. Quero não desapontar você, e que não me desaponte também. Quero te proteger, te aninhar em meus braços, não porque não saiba se defender, mas para que, sinta-se que, pode contar comigo, sempre que puder. Quero que contamine as minhas roupas com o seu cheiro quando estivermos um nos braços do outro. Quero me aconchegar em seus braços, e apoiar minha cabeça em seu peito e poder, me sentir protegida e amada. Quero que sejamos um a força do outro para vencer o que tiver de vir, romper barreiras que, vier surgir no nosso caminho. Quero poder ir a todos os lugares contigo. Para o campo ou para a praia, pras montanhas ou para vales, para o norte ou para o sul, não importa. O que importa é que eu quero estar contigo. Quero que o nosso querer de está junto, dure, dure tempo bastante para tornar-se inesquecível. Que mesmo se um dia, nos distanciarmos, possamos lembrar-nos desse sentimento, mas de forma bonita, mágica. Quero viver cada momento, sem perder nenhum sorriso, nenhum detalhe, nenhuma expressão. Quero que fique cada vez mais perto, aqui bem do meu lado. Quero te fazer sorrir em paz, não quero mais me afastar, pois eu aprendi a te gostar demais. Quero poder lhe desejar boa noite todos os dias, através de mensagens, ligações. Poder dar beijos de boa noite, te encontrar em meus sonhos e no outro dia, você ser o primeiro á saber com o que sonhei. Quero fazer parte da sua vida, e que você faça parte da minha. Fazer com que cada dia valha à pena. Quero te mostrar que eu quero ser feliz, e que hoje eu quero também te fazer feliz, mais feliz de verdade. É isso...
Quero como eu quero.

sábado, 8 de setembro de 2012

Todos os dias.



Gosto quando você me toca, mesmo que às vezes seja sem querer, mesmo que às vezes seja só um esbarrão, ou só a mania de mexer comigo, para me tirar do sério. Adoro quando você está por perto – de alguma forma, você transforma o meu dia. Não gosto do medo que sinto, por não saber se devo segurar sua mão, ou tentar abraçá-lo, toda vez que sinto o vento pairá entre nós. Eu gosto como você mexe no cabelo, mesmo quando o vento nem ao menos mexeu uma madeixa, gosto de como para de braços cruzados. Gosto da sensação que sinto toda vez que te encontro, ou quando simplesmente vejo uma foto sua – aquele friozinho no estômago, que chega até a garganta, deixando-me sem reação. Gosto de ver e ouvir você falar. Gosto de como franze as sobrancelhas ou fecha os olhos quando dou um simples cheiro em seu rosto. Gosto da sua voz, do seu cheiro. Adoro lembrar, do seu semblante e sentir do nada seu cheiro antes de dormir. Não gosto de perceber que você faz falta. Odeio ter a hipótese de que eu poderia ser uma garota ao qual não te fizesse falta, mais detestaria e ter de manter distante para que minha ausência fosse sentida. Adoro ver como é educado e querido pelos desconhecidos e conhecidos. Gosto de como se despedi de mim toda vez que tenho que partir, ou quando, se despede de mim ao portão da minha casa, mesmo que eu não goste de ter que deixar você ir embora. Não gosto de pensar que eu posso não ter a chance de te mostrar o que eu seria capaz de fazer por você e o que seria capaz de fazer você sentir. Não gosto do fato de você talvez não saber, o quanto eu gosto de você, apesar do pouco tempo, mesmo que diga que imagina, que sabe. Detesto que isso não possa ser dito, possa apenas ser demonstrado. Odeio não poder demonstrar isso. Gosto dos seus olhos, cor de mel, esverdeados. Gosto quando nossos olhos se cruzam. Gosto de quando me abraça do nada, ou quando me dá um beijo rápido, pegando-me de surpresa. Adoro a forma como você sorrir, de algo que eu fiz de engraçado, ou quando eu implico em te perturbar, cutucar, mexer em você. Ou simplesmente como você sorri quando, sem nada a dizer, nossos olhos se esbarram. Gosto de ver seu sorriso. Adoro saber quando sou eu que o faço sorrir. Não gosto de, como agora, contar para um papel tudo o que sinto, ao invés de ter a chance de sussurrar as mesmas coisas ao seu ouvido. Embora adore a forma como você me inspira com o simples fato da sua presença, mesmo que instantânea, mesmo que sua presença não seja física todas as horas do meu dia, mas só em meus pensamentos. Gosto quando me acompanha até a minha casa, aninhando-me em seus braços, protegendo-me. Gosto de quando se preocupa comigo, quando digo que vou sozinha. Não gosto, quando insiste em me levar em casa, mesmo sabendo do risco de voltar sozinho, meu coração fica pequenino de preocupação em pensar na sua volta, os riscos, não me perdoaria se lhe acontecesse algo. Gosto de quando implica comigo, quando levo as mãos à boca, no intuito de roer as unhas.  Não gosto de não saber o que fazer, toda vez que acontece o confronto em mim entre o medo de afastá-lo ou perdê-lo, pelas diferenças e o desejo de trazê-lo ainda mais perto. Adoro como sua presença faz o meu dia. E então, um pedido peço-lhe.: Faça meu dia, todos os dias.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Assim, então



Não sei ao certo o que será de mim amanhã, ou depois de amanhã, ou até mesmo daqui a algum tempo; sei ao certo como é o meu hoje, o agora. Meu presente se resume, em momentos de exaustão e felizes. Por graças divinas, tenho pessoas ao meu redor que gostam de mim, e que faço o possível e impossível para tê-los ao meu lado também. Cultivo cada gesto que me passam, guardando-os de forma solene dentro de mim – existem aqueles dias importunos, onde nos secam e esgotam nossas energias positivas, mas nada como um bom banho de paciência e fé – para complementarmos e conseguirmos enfrentar tudo de cabeça erguida e de forma passiva. Há sempre pessoas que surgem em nossas vidas, por algum propósito – seja elas quais forem. E quando essas chegam, de forma, arrebatadoras, nos trazendo suspiros fortes de imensa, sublimidade – a tratamos da melhor forma possível, pois é nelas onde encontramos sentimentos sublimes, aos quais gostamos e nos fazendo bem, e deixando-nos amáveis, maleáveis, adoráveis... Com o coração cheio de esperança! Então vos digo: Cuidar-te-ei, imensamente sentimento bom! 

domingo, 19 de agosto de 2012

You and me




A brisa forte esfriava nossos corpos, no meio daquele abraço apertado – como de fato, no lado dele é sempre assim, como se nada mais importasse – só nós naquele singelo momento. Olhos nos olhos e o silencio contínuo, quão bom é estar do lado de quem gostamos. A cada brincadeira compartilhada – o coração sorri intensamente de tanta alegria – e nos lábios a expressão que vem de dentro para fora. Dentre o abraço aconchegante, sufocante de emoção, nenhuma palavra saia dentre meus lábios – mas a vontade de dizer-lhe ao pé do ouvido, palavras as quais jamais ele esquecerá – mas, só a vontade ficou, permiti que mais uma chance fosse desperdiçada. E logo um beijo intenso foi compartilhado, e joguei toda minha emoção em teus lábios – foi como o sol e a lua a se namorar, sabor de fruta doce mordida – coração a se apaixonar.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Ao ponto inicial



Volto ao ponto inicial – mas agora com uma nova flecha foi lançada. Acredite! Sempre temos novas oportunidades, que surgem diariamente em nosso caminho; só basta acreditarmos em dias melhores e deixarmos o sentimento fluir de fora para dentro – sem medo, sem ponto nem reticências, apenas deixemos surgir o que á de melhor na vida e assim conseguiremos transbordar de felicidade o coração. Não nos deixemos aprisionar em meras lembranças fictícias, que retrai o sorriso e o bem estar – prender-se em algo que não deixa-te, ir a diante – é como um cárcere privado – prendes a ti mesmo, começa a ser refém dos próprios sentimentos e começas a sentir-se medíocre, sem perspectiva de um amanhã melhor. Pensamentos pequenos surgem, o comodismo toma de conta – e no final nada disso fará sentindo algum. O bom, o prazeroso é sentir o coração acelerar “do nada”, é sentir-se útil em alguma coisa, é poder sentir borboletas esvoaçantes no estomago por algum motivo... É sentir prazer em estar vivo. Brindamos à vida! Aplaudiremos o que nos faz levantar todos os dias. Sorriamos para o que nos faz melhores e digamos: “eu te amo” para quem surgiu não por acaso em nossas vidas, e que nos faz sentir pessoas melhores a cada gesto, a cada dia que passa ao nosso lado. Sejamos; felizes acima de tudo!

Brisa-Erupção



Ofereço-te o meu melhor. O que há em mim de mais sincero e singelo, que é pra usares do modo que mais te apraz. Se o acaso for de um ombro, serei a melhor dos ouvintes; Se o caso for de alegria, serei a solução de teus domingos, dias tediosos, ou até mesmo mais um motivo de seu dia marcante; E – se por acaso ou destino – for paixão, for amor, serei o melhor que os teus mais puros e utópicos devaneios, porque serei real – Serei tua, tão tua quanto serás tão meu.

Só peço-te honestidade. Peço-te que não me venha com meias verdades, ou ilusões dentro de palavras soltas ao ar. Peço que me mova, porém se tiveres disposto, somente – e encarar com coragem! Pois costumo ser como um rio, torrente e às vezes perigoso. Não me mova, caso não possa suportar o vulcão que às vezes carrego em mim – mas que entre tantas outras, sou como um rio frágil – em meio a seca prestes a secar por inteiro, não me motive a lutar, caso o seu segredo seja ferir-me, pois poço trazer-te os melhores nutrientes para tua alma.

Ofereço-te o que há de mais incrível em mim, e te peço simplesmente coragem, daquelas coragens de pular sem paraquedas do precípicio e cair num desconhecido mundo fantástico. Porque a de enfrentarmos muito, para preservamos a felicidade. Pois ão de dizernos que não vale a pena – não valerá o esforço – e caberá somente a mim e a ti, dizer, se valeu ou não. Se estás certo do que queres e ser for verdadeiro, a minha certeza baterá com a sua. Pois o que há de bom nisso tudo, é que: Quero, o bem, e ele está junto contigo!

“A verdadeira felicidade não é pra quem quer, é pra quem pode suportar construí-la.”

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Perfume de bons momentos



São as lembranças, os bons momentos, paixão que ficou no ar. Os olhos, a boca, os abraços, o cheiro impregnado na roupa. Foi ventania, brisa fraca – que passou e deixou saudade. Ficou só à vontade. Então, parei lembrei, desse sentimento, sempre de vez em quando – quando fechar os olhos, o coração padece. E tem sido presente em pensamento, desde o dia que pude revê-lo, passa um filme na cabeça, será coincidência ou o destino fazendo exigência. Aquele rosto parado na minha frente, não me dava chance para pensar em nada, quando mais eu fujo mais eu acabo me entregando mais. O abraço aconteceu – por um minuto pude sentir, um momento que não teria fim, por mim seria a eternidade. O perfume, pude sentir – aquele cheiro inesquecível, então viajei nos seus trejeitos. Foi quando aqueles braços me soltaram, e aquele cheiro ficou pele a pele. O tempo passa, o mundo gira, pessoas surgem em nossas vidas, mas, minha loucura chegou ao ápice (saudades eu sinto). É fresca, é suave uma fragrância que transmite uma sensação de conforto e leveza – e assim o cheiro que não consigo parar de sentir. E bate a carência, o coração vai padecendo, o cheiro perturbando a consciência.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Lembranças em meio ao silêncio



Olho sua foto e a sua lembrança, me consome. E logo um aperto dentro do peito, re-surge. Sinto sua falta – isso é nítido dentro de mim, mesmo depois de tanto tempo. Desde que nos distanciamos, tento dizer-me a mim mesma que é passado, que deves ficar lá. E viver outro amor como antídoto para preencher o vazio que você deixou; sempre ouvir dizer que só se cura um amor com outro amor. Mas, há se soubesses quão é grande a saudade que senti quando tive de vez por todas tentar tirar você de mim. Ah coração, se você soubesse o quanto eu te desejei comigo, o quão foi grande o meu carinho por você – mas ai, tudo se desfez e nosso desencontro foi maior. E as lembranças apenas, ficaram; em meio ao silêncio sigiloso – sem ruídos, sem ao menos palavras soadas ao vento. E como uma brisa leve e fresca – lembrei de ti hoje – tão vivo, mais tão sonolento aqui dentro. As lembranças, os momentos, as lágrimas; jogados ao vento. E o silêncio habitou de vez – em teu silêncio ouço minha voz pedindo a gritos; amor. Com gosto te daria tudo, com gosto aceitaria viver ao teu lado. Sonho ao teu lado, mas de repente chega à obscuridade que me acorda e assombra meu coração. Guardo um raio de esperança – aqui comigo.

domingo, 10 de junho de 2012

O que mais fere



O que mais fere – é essa ausência. É essa idéia de deixar um pouco solto, pois assim acaba sentindo falta. Que Ideia estúpida! É isso que fere, e que trás os pensamentos ruins, as incertezas. Porque deixar o outro pensar, que: “será que está pensando em mim?!”; “onde será que ele está nesse momento?!”; “será que realmente gosta de mim?!”. Que estupidez tudo isso. As pessoas tendem a ser fracos nessa maneira, a fazer com que o outro fique em duvida, e acredita que isso é bom. Mal, sabem o quão isso é angustiante – o quão isso machuca e deixa o outro em incerteza, inseguro. Porque não: “É, ele gosta de mim.. E eu também!”; “Ele está onde me falou, e está pensando em mim!” – Isso é tão mais satisfatório, tão límpido para o coração. Não cabe lugar para a incerteza, e ajuda o coração a ficar em paz, a se apaixonar com tranqüilidade. Alguns vão discordar, outros vão me aplaudir – mais quer saber, eu mesma vou aplaudir. Pois é isso, que eu tenho procurado todo esse tempo. Por alguém, que não me deixe na incerteza, na insegurança – tantos relacionamentos desgastantes pelo simples fato de que me senti insegura, senti uma pontada de não querer, e que no final depois da minha forte intuição, de fato aconteceu como previsto. Meu forte não é o romantismo – isso meio que me enjoa. Tão mais saboroso ser surpreendida (o). Nada de muito clichê – como esperar a amada a porta com um buquê de flores – e sim, surpreende-la com algo inusitado. Ou até mesmo, surpreende-la com palavras em momentos, nada especial, como algo não predestinado e sim porque deu vontade. O que mais fere – não é uma briga por coisas banais. E sim, fazer-se ausente em meio ao sentimento nascendo. É acreditar que a (o) deixando sentir saudades absurdas – vai a (o) trazer de volta. O que mais fere – é sentir um sentindo tão forte e tanto não poder ser retribuído. 

A lembrança do sentimento



Existiu sentimentos dentro de mim, que jamais pensei um dia sentir. Foi algo como surreal – sentir borboletas esvoaçantes no estomago, soar frio, sentir o coração bater mais forte e lento ao mesmo tempo, sentir ao abraçar o mundo em seus braços; e o tempo parar naquele momento. Parece um pouco clichê, mais foi exatamente assim. Não, não foi o primeiro amor, nem muito menos, o que durou... Mas foi o que mais marcou. O que até hoje lembra com satisfação. Mas por causa das circunstâncias – não teve de durar. Foi ao mesmo tempo uns dos que mais machucou. A ausência machuca, a saudade é torturante. Pensamentos bifurcam a cabeça, a dor de não poder abraçar esse sentimento é ainda maior. Quão grande poderia ter sido esse sentimento – porem, quando ele quis desabrochar, alcançar vôo – algo o interrompeu. E apenas, ficou; as lembranças, o sabor, a vontade. Um ponto final, sem fim. Uma ida, sem o adeus – não da parte dela. E isso no final de tudo, foi o que mais bagunçou.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Enquanto o vento sopra




E as flores começam a cair novamente. O vento frio passando pelas frestas da janela entreaberta; consigo ouvir o sussurro do vento – nitidamente. É algo tão frio, pouco a pouco, fazendo-se; assim as folhas mover-se. Quão bom a sensação tocando a pele – mas logo chegando ao coração. Não é o inverno, e sim o outono já nos dando a sua graça. O toque sublime, inspirando harmonia. As lembranças a vir – mas por ironia e grande satisfação, não veio as lagrimas. E sim, respirações profundas de momentos que foram bons, mais que decidiram por fim, ficar no passado. Dando-me espaço, para novas lembranças das quais vive ontem, viverei hoje – que lembrarei amanhã. O verso foi dito, o olhar seguido do silencio, a oportunidade vivida e perdida.  Renascemo-nos assim como o vento, assim como as plantas, como um grande dia ensolarado – não deixemos as frestas entreabertas, escancaremo-nos nossas portas para um respirar latente, um viver cheio de graça. Não esquecemo-nos o poder do foco, força e da fé. Foco – de um horizonte certo sem precisar olhar para trás. Força – para quando tropeçarmos não nos permita-nos; derrear, e sim sermos fortes o bastante para equilibrarmo-nos. E Fé – para que tudo valha à pena, fé no criador, fé nos nossos princípios, fé naquilo que acreditamos; fé para que o foco e a força sejam nossa fortaleza.

sábado, 5 de maio de 2012

QUANTOS



De alguma forma eu sempre o tive aqui dentro de mim. Isso eu neguei a mim mesma por muito e muito tempo – mirei outros olhares, outros sabores, outros momentos. Mas toda vez, de alguma forma, acabava comparando a você – quando não era eu, ou outras pessoas me lembrando você. Por muito tempo eu calei meu coração, e o sentimento sufocou por dentro. Quantas partidas, voltas. Quantos afagos, desentendimentos. Quantos sorrisos, lágrimas. Quantos abraços, devaneios. Quantas palavras ditas, outras silenciadas. Quantos momentos únicos, outros perdidos. Motivos para não o procurar nunca me faltaram, mas, os motivos para te querer por perto, sobretudo, sempre falou mais alto. Você some, e de repente reaparece, ou simplesmente, eu o procuro. E dentre tantos motivos para querer-te longe, sinto-o cada vez mais perto dentro de mim, mesmo cada vez distante, vivendo em mundos opostos. Dentre as vezes que nos olhamos o meu silêncio sempre se faz presente, mas quero que saibas, que neste meu silêncio, se escondem sentimentos que você jamais poderá medir – precisamente hoje, o mesmo esteja surrado, mas a cada vez que o vejo, a cada batida enigmática do meu coração, eu sinto, sim surrado... Não acabado.

terça-feira, 17 de abril de 2012

Além do apesar..


Cansei de servir de tapa buracos, de meias verdades. De me doar e no final de tudo, receber ingratidões. Cansei, de ferir meu ego, de curar feridas e abrir crateras dentro de mim. É estranho, pois ela já sofreu demais, serviu de lenço para limpar as feridas do ego de muitos, dentro de relacionamentos estranhos, talvez ela esteja condicionada a ser uma pessoa substituta. De fato, muitas vezes somos. A gente acha que é especial na vida de alguém, e quem garante que não estejamos servindo apenas para curar feridas antigas? (...) Mas apesar de tudo, espero que apesar dos apesares, a gente continue com a valentia suficiente para não abrir mão de ser e se sentir feliz. E então, possamos olhar para dentro de nós – e acreditar que vai dar certo, vai ter amor, vai ter fé, vai ter paz – sem melancolia, sem solidão, sem ilusões. E então eu me recuso a descrer absolutamente de tudo, e eu faço força para manter algumas esperanças vivas, acessas como vela. 

Daily Kaka

sexta-feira, 30 de março de 2012

MESMO SE...


Mesmo se você estivesse aqui, você me deixaria. Como fez das ultimas vezes que nós tentamos. Mesmo se eu não estivesse aqui, você não me procuraria – como tem feito todas às vezes. Você reclama que eu não falo, e toma iniciativas um tanto quanto infantil. Você não muda, ou melhor, dá dez passos a frente e cem para trás. Mas e se...? Você nunca se perguntou? Porque de alguma forma, eu estou sempre por perto – mesmo, distantes. Você nunca deve ter pensando no fato de me perder, até o dia que mostramos um para o outro, um não. Deixamos para que o tempo, falasse por nós – que o mestre tempo, mostrasse, caminhos verdadeiros. MAS E SE você tivesse a chance de me ter de volta? E MESMO SE você me implorasse, eu não voltaria. (Não no momento). MAS E SE eu voltasse pra você? Seria a mesma coisa que foi? Você prometeria mudar completamente? Ou seria, amor por alguns meses e depois, viraria rotina? Ou simplesmente, você tornaria amoroso na minha frente e por trás sacana? E sabe, MESMO SE você me quisesse de volta, por toda a minha burrice, eu até poderia dizer-te um sim, mas teria regras, teria que mostrar o oposto que é. MAS SE por acaso você vier... Que venha com a mesma intensidade da primeira vez, com todo o clima como foi no nosso primeiro beijo em frente a minha casa. Porque MESMO SE você me quiser, eu não quero parte de você, alguns meses de você... Te quereria pra vida toda. 

terça-feira, 20 de março de 2012

Com o vento

Quando se esta com o coração machucado, tudo o que se mais quer, é que chegue logo ao fim. O fim – da dor, das angustias, das mentiras, dos amores não correspondidos – de tudo. Às vezes acabamos com vontade ate de matar a própria esperança. Mas na vida tudo acabar... Até a dor. E renovemo-nos de folhas novinhas, brancas sem nenhum rabisco. E as rabiscadas jogam-se fora – deixando com que a brisa as leve e assim rezando para que, o vento que logo virá traga esperanças e renovações límpidas. E se não vier – e não conseguir ser forte o bastante – não há problema, nem sempre é preciso tornar-se forte. Temos que respeitar nossas fraquezas. 

Mestre caprichoso


O tempo nem sempre cura tudo. Algumas feridas cicatrizam, mas ainda há algumas que insistem em latejar quando o dia esta nublado. O senhor tempo ajuda-nos, a saborear melhor dia após dia – isso sendo na alegria ou na tristeza. Tempo, um mestre caprichoso – nos ergue, nos mostra a verdadeira essência de cada minuto, minuciosamente. A ele, o tempo de amar, de renovar, de reviver... E assim são feitos os dias, minuciosas passadas, pequenos desejos, vagarosas saudades, silenciosas lembranças. Consigo vindo; momentâneos lampejos, doses amargas, de mágoas sombrias, ou até mesmo, antídotos, de vagas felicidades, inatuais esperanças; de dias melhores, de ares frescos, de sorrisos alegres. O tempo então passa, mesmo quando tudo parece impossível, mesmo quando cada batida do ponteiro do relógio, arduamente dói como sangue pulsando sobre um hematoma. Entretanto, passa. De modo inconstante; como guinadas árduas, estranhas. De calmaria arrastada – mas, passa. 

segunda-feira, 19 de março de 2012

Deve existir um rio são só pra mim...



Apenas, queria que em algum canto do mundo – escolhesse a mim. E simplesmente me abraçasse e solenemente dissesse, que está tudo bem, que é normal, de vez em quando eu perder o equilíbrio assim. Queria apenas, que existisse um canto no mundo – que arduamente deixasse-me ficar quietinha, quente, quando todo o resto do mundo resolvesse me magoar. Naturalmente em alguns breves momentos, sempre decidimos de alguma forma nos interiorizarmos, para conversarmos um pouco conosco – assim um tipo de comunicação introspectiva para adornar-nos. Solidão nada mais é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma... E pararmos para pensar no que deve ser bom ou ruim para nosso interior. E tudo que queria, era um rio são só pra mim. Um rio solene, mágico, disposto a deixar-me, cuidar, aninhar e deleita-me diante de ti e senti-lo apenas só para mim, sem precisar dividi-lo com mais ninguém. Assim, singelamente serei somente sua... Sem porquês, nem pra quês, apenas assim, um do outro. Muitas vezes, precisamos mais do que nos dão. Apenas, queria um céu para contemplá-lo, ser para ele o aconchego de todo o nascer do sol a chegada da lua. Um pouco de mar – abraçando-me por completa, protegendo-me sem ao menos precisar falar tanto. Banhando-me com tal deleito – que ficarei assim, pra sempre e sendo cuidada e cuidando, fazendo com que a reciprocidade seja válida, notória. Persistirei, até o momento que encontrar o que de fato, será são só pra mim.

terça-feira, 13 de março de 2012

Cry.. Rain


Ateei-me, nas medíocres lembranças. Cintilante a noite começa a vir, o ar frio começara a pairar – por alguns instantes minha pele arrepiava. Somente a pele, pois, meu coração já se encontrava em um frio imensurável. O chão molhado mostrava o quão frio a noite iria ser; a chuva tinha acabado de cessar. As luzes começavam a ascender, o crepúsculo começaria a vir a qualquer momento. Sentei-me no primeiro banco que avistei ali próximo, e fiquei ali por longos minutos. Por algum momento não conseguia me concentrar em nenhum pensamento, eram tantos – minha cabeça não parava. Eram turbilhões de imagens, palavras atormentando-me. Sentia-me quase sufocar com tudo aquilo. “Senti o celular vibrar no bolso” uma mensagem... Mas ao ler, respirei fundo decepcionada – era uma breve mensagem de um amigo. Não tive nenhum pouco de vontade para respondê-lo, enfiei-o novamente no bolso. Minha expressão de decepção e tristeza foi ainda maior. Esparramei pelo banco, e fiquei ali a olhar o céu entre nuvens – de vez em quando, respingava algumas gotas de água pelo meu rosto, que descia pela minha face junto com uma, ou duas lágrimas, que escorria sobre o mesmo. Eu esperava ainda, mesmo com pouca esperança, de que alguém que eu espero tanto venha a me procurar – mais que esperanças mais sem fundamento essa minha. Mas eu as tinha. A rua começava a ficar deserta – o movimento começava a diminuir, e eu continuava ali, de alguma forma tentando achar uma solução para aquele meu estado. Sentia-me vazia, tão, quão aquele momento, sentada ali. Em resposta ao meu estado – a chuva começou a chorar comigo, os pingos cada vez mais fortes, demonstrou-me como eu estava. Levantei-me fraquejando, e segui em frente, pausadamente. Em alguns momentos fechando os olhos e levantando minha cabeça para cima – sentindo o céu chorar sobre minha pele.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Quase você.



      Tinha olhado de relance, então por via das dúvidas o olhei novamente. E é que ele era tão, mas tão, parecido com ele. Todo o seu semblante, textura dos cabelos, o formato das sobrancelhas, os dentes, a altura, os olhos, tudo mesmo. Tão genuinamente e despretensiosamente igual, e algo dentro de mim soou, algo em mim quis que fosse mesmo, outra chance, outro jeito de eu ter de novo, algo de alguém perdido de mim. E comportei-me igual, pra ver se a história se repetia e logo lá no fim eu faria diferente para não acabar e só assim continuar sendo o que deveria ter sido desde a primeira vez. E então, procurando desesperadamente a morte que fomos há tempos, para que o mesmo luto que eu carrego, não venha a se descarregar outra vez. Solenemente, um sinal de que, por favor, era possível achar uma cópia fiel, ou outro fator como, ele em outra pessoa, de novo, só mais uma vez, uma única próxima vez, para que a paz de tê-lo novamente reine e desfigure todos os meus remorsos e saudades. Era a mesma feição, mesmo expressão, o mesmo tom de voz. Serenamente eu quis que fosse ele – por inteiro, por completo. Destreinadamente fiquei, a admirá-lo, de alguma maneira eu o via perante aquele rosto, talvez fosse meia loucura da minha parte, então, foi a que eu quis matar o que era; para conseguir renascer o que foi. Eu quis a morte, logo o recomeço, eu quis assim, apenas, ele de qualquer jeito, por cima desses falsos amores, aos quais venho a me propor a qualquer custo, para que assim consiga tapar esse rombo imensurável de faltas que me consome e que de maneira alguma consigo me acostumar. Eu fujo mil vezes, volto mil e uma vez, na humilde esperança de não pensar e assim pensando, que esse passado é esse chão que enterra as alegrias as quais nem ao menos senti. Que ironia, ele era quase você, por ser quase, discordei de tudo que havia dito, e então, não foi, não fomos. Morremos. Umbrosamente, mais uma vez. 

quarta-feira, 7 de março de 2012

Essa é de mim para ele.

   
  Talvez seja uma sentença gostar dele. Talvez isso seja um dos tantos obstáculos que surgira em meu caminho. Ou apenas talvez, um momento propício que devo passar. Realmente não consigo chegar a nenhuma conclusão. Apenas, sei que realmente amar e não ser correspondido é um ato cruel. Feridas abrem dentro de nós – como crateras profundas, arrebatando-nos de maneira desagradável. Mas o que fazer com essa saudade que insisti em não cessar? – Preciso de alguma forma abrir meu coração, contar verdades sobre mim – mais simplesmente amor não se pede, imagine só. Mas, imagine só, que eu morro de vontade, de jogar tudo para o ar e apenas ir encontrá-lo não me importando com mais nada – mais que ironia essa minha, eu nunca farei isso. Enquanto ele comigo não decidir ficar, mesmo aqui quase esmagada sem a presença dele, mas amor não se pede, é uma pena – é uma pena estar com o coração inchado de amar sozinha, ter os olhos inchados de amar sozinha. Sempre com o mesmo semblante altista de quem sozinha sonha. Infelizmente não dá pra ligar pra ele, apesar de dá uma vontade enorme, e simplesmente dizer: Poxa, to sofrendo aqui, será que não dá pra parar com essa estupidez, e vir logo resolver meu problema? Mas amor não se pede, e isso dói. Dói porque de alguma forma, toda a leveza foi embora, por alguma razão, se está vazia. É triste ver o sol, e com ele as manhãs serem tristes também, pois prometem mais um dia sem ele e mais tristes as noites que cumprem a promessa. É triste respirar e não sentir aquele cheiro, o qual te invadia alma à dentro. É triste amar tanto, e tanto amor não ter proveito – tanto amor, querendo fazer alguém feliz, querendo escrever uma história, mas no final de tudo, só escrevo esse texto amargurado. É triste saber que falta alguma coisa, e mais ainda saber que não dá para comprar, substituir, implorar... Esquecer. É triste lembrar como eu ria com ele. É realmente, amor não se pede. Amor se declara, e talvez esse também tenha sido meu erro, não o declarei. Mas sabe de uma coisa? Ele sabe... E se não sabe, se ele vier... Ele saberá. 

sábado, 3 de março de 2012

which is to be


Nunca o tinha chamado de “amor”, na verdade nunca o tinha demonstrado totalmente o que sentia. E isso o fez se afastar, deixando-a triste, mais sabia que a culpa de alguma forma mesmo que mínima, era também sua. Enquanto esteve por perto, fez a diferença; soube ter paciência quando fui morna, soube me fazer sorrir, quando quis chorar – escutou em silencio o meu silencio de palavras, enxugou minhas lágrimas quando encostei minha cabeça em teu peito, fez-me despertar um sentimento singelo e enorme dentro de mim. Foi especial em momentos tristes e normais – foi o meu sorriso, mais alegre. Dentro desse tempo, afastados – de algumas formas tentou esquecê-lo, reviver outros amores, conhecer novos horizontes, sentir novos sabores – mas de alguma forma sempre acaba revivendo o cheiro, o sabor dele.  A brisa do vento sempre trás algumas lembranças, mas nunca o trás de volta. Muitas coisas; aprendeu. Aprendeu aquilo que ele tanto pedia – a ser mais carinhosa, á amadurecer de dentro para fora. O tempo, um mestre caprichoso – sempre nos mostram soluções precisas, então, confio minha sorte ao mesmo. E se essa distancia, for á solução – não interromperei, o destino saberá realmente o que é melhor para os dois corações, o tempo será o antídoto para curar cada cicatriz, ou unir ambos. o que fora de ser – será. Então, deixo-o assim, o que pra ser, vigora.

sexta-feira, 2 de março de 2012

suddenly


De repente a sua alegria passou – parecia que estava predestinando algo, pudera. Sentia-se indisposta, pensamentos longes, concentração zerada – de todas as formas seus pensamentos tinham um percurso central. Não queria mais pensar, mas como controlar? Eram persistentes, inadequados – sacanos; mas gostava. Divertia-se, alucinavam-na, enchiam-na de saudade ao mesmo tempo. Lembrava-se dos tempos bons, onde eram abraços, beijos, carinhos trocados intensamente – então sentiu uma pontada fina no coração. Assustou-se. E quando logo tornou, olhando diretamente seu rosto em frente ao espelho, percebeu. Chorava. Lágrimas rolavam pela sua face destreinadamente. Seu coração ainda estava preso as lembranças, ou melhor, estava preso aquele sentimento – é complicado tirar da cabeça quando já se encontra em um estado totalmente preenchido. É difícil mesmo sabendo que o espaço que tem dentro do seu coração (tão enorme), não seja o mesmo dentro dele.

Exception


Ele era a única exceção para ela. Ele era o ponto primordial para todos os seus sonhos de consumo – mas por ironia do destino, ele se fora de uma rapidez, que a deixou desnorteada. Ela o amava – isso nunca tivera nenhuma duvida, mas seu jeito ríspido, o assustou – sabia e demonstrava ter um coração um pouco duro, as amarguras do passado não a deixaram completamente em paz, talvez o medo de machucar-se sempre a fazia se sentir assim, e por isso separava-se de tudo que podia lhe fazer feliz. Expiro e inspiro; profundamente, pausadamente, pois tudo o que me relaciona com esse sentimento, meche conspiradamente comigo – insanamente perco-me em pensamentos (inevitável não pensar), e o coração continua assim, perdido – entre a saudade, o medo e a razão. Apesar de tudo, acredito hoje que; tudo tem seu tempo certo para acontecer – e se for da vontade do criador, de alguma forma, cedo ou tarde voltarei á encontrá-lo... Desde então, tem-se sentido muito a falta do que ele começara a representar pra ela, a companhia, os sorrisos, os carinhos trocados – e agora ela fica a pensar – será que foi também a exceção para ele? 

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

He and she


Ele era mais velho, experiente, sábio com as palavras – a beleza transbordava de dentro para fora. Ela estava crescendo, tinha sonhos e planos, trazia algumas amarguras do passado – mas o coração era cheio de amor, tão sublime, só não sabia como transpor. Ao mesmo tempo, que o destino os uniu, acabara de separá-los – fora assim como uma facada rasgando peito a fora. De alguma forma, ela o tinha dentro de si, era tudo muito intenso para com o vento ir, o sentimento era rochoso – firme e forte como uma rocha. Fazia-te sonhar, mais também, fazia-te chorar – fez-se assim desde o dia em que seus olhares se desencontraram. Ele talvez estivesse hoje completo, ela seguia-se assim, ainda mais sozinha e pensativa. Mas nela o sentimento ficou – mesmo cada um no seu lugar, mesmo a distância prevalecendo, mesmo o tempo surgindo, mesmo assim.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Please. .

Não peço nada demais: Um café quente, cookies, alguns chocolates, um bom romance para ler (que seja doce) e uma dose de felicidade, por favor, no capricho.
Daily Kaka

for yesterday


“Te curto, te gosto. Mesmo na ausência, mesmo no silêncio. Menos distância e mais você, por favor. Pra ontem." 

...

Ela pode pensar muito em você – sonhar, desejar. Todos os dias. E, ainda assim, preferir o silêncio.
daily kaka

What begins ends?!


Tudo o que tem começado, tem-se terminado – o que começa termina. É que, as pessoas só não querem sair feridas. Porém, isso não está incluso não ferir alguém. 

hovered touch


O toque era de um tom tão suave. A música pairava no ar – cada nota musical saindo daquele imenso objeto; as sublinhava meu coração. Sentia meus dedos deleitar pelas notas. Aquilo era tudo tão nítido, tão sublime para meus ouvidos. Meu coração só assim acalmou-se um pouco.

Ao reviver


Hoje o coração entoou o seu nome com precisão. Foi algo tão forte – havia dias que não sentia algo parecido, parecia que de alguma forma ele estava adormecendo dentro do mim – perante a distância, senti o coração gelar; algo que me fazia bem se distanciara. Em um súbito momento – senti o coração esquentar novamente, bombeando o sangue ao todo. Sem duvidas de alguma forma, ele sempre estivera aqui. Talvez o cheiro, o sabor a sensação na pele, não sei. Mas ficou. E brevemente em meio a um trocadilho – o coração entoou, fraquejando, singelo. Reviveu aqueles momentos, aos quais sempre fizera bem. Foi notório que o verdadeiro não se acaba – apenas pode adormecer. Porem, em meio a tantos sentimentos juntos relembrados, a saudade fora sem duvidas a que mais gritou. 

sábado, 4 de fevereiro de 2012

splendid will



Sempre tivera vontade, mas nunca tinha exposto esse dom. deu-se a licença de usar esse termo, pois acreditava que seja. Assim como alguns aderem o dom de cantar – outros os de escrever. Acreditava-se que esse seria o seu. Desenrolava-se com facilidade entre as palavras, conseguia sempre expressar-se de alguma forma. Era mais que um passatempo, era um sonho de tão límpido – tirava-lhe de muitas vezes as angustias. Só assim dividia seus sentimentos mais internos. De alguma forma ela se movimentava de acordo com as notas musicais e com o poder das palavras – que pareava em sua cabeça e seu coração. Serelepe, leve – ficava. 

The sun



O sol estava estupendo – quão maravilhoso estava o ar lá fora. Dia sereno, calmamente me chamava para presenciar tudo aqui. Algo estava me puxando – não posso deixá-lo ir embora assim, sem ao menos gozar um pouco de tais maravilhas, tão sublimes e encantadoras. A brisa tocante – fria arrepiava-me toda, mas ao contrario do que imagine eu não dei retrocesso eu apenas segui adiante, segui firme e forte. Completamente maravilhada, estupendo momento que tanto me agradava. 

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Eles




O carinho era tão intenso entre ambos. Que não, sabia-se, mais como era viver, um longe do outro. Era meio mágico, meio conto de fadas – mesmo existindo tanta diferença entre si. Ela era meio tímida, apesar de um gênio forte. Ele meio arrogante, mais de uma sutileza agradável. Cintilantemente se encaixavam um no outro. Ela tinha um desejo mutuo por ele. Sua pele tremia ao senti-lo por perto. Quando ele a tocava, os tremores eram inusitados – sensações prazerosas. Ela o amava – sabia-se, não haveria mais duvidas. Cabia somente falar-te naquele momento, (mordiscou seus lábios, e sussurrou em seu ouvido em meio ao prazer: – eu amo você). Ele então disse-lhe sussurrante: – sou louco por você, garota.   

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Fere e cura



Aquilo que hoje nos fere, amanhã nos cura. E nesse impasse a roda vai girando. A vida tem sido um pouco áspera comigo – assim posso dizer, mas ao mesmo tempo tem me ensinado bastante coisa. 

Dá mais certo



Com o desenrolar do dia a dia, aprendi também a não contar muito com os outros – ando meia ante-mão nesse ponto: Na medida do possível, faço tudo só – são menos questionamentos, menos dúvidas. Dá mais certo. 

sábado, 28 de janeiro de 2012

Silence


Às vezes por ironia do destino perdemos pessoas ou coisas. E isso machuca, bastante. Tentamos escutar o próprio coração – e tudo o que conseguimos ouvir é o silêncio do vazio. Eu enlouqueço no silêncio – quando calo-me de boca, falo pelos cotovelos mentalmente, minha cabeça nunca pára. As vozes na minha cabeça gritam cada vez mais, gradualmente aumentando, e de alguma forma, preciso me expressar e quando não consigo vou ficando nervosa, quase louca. Porem, na verdade, a normalidade nunca existiu, não dentro de mim.
Muitas vezes andando sozinha na rua, vendo esses emaranhados de imagens que decoro, de acordo que vou observando. Surgem, palavras, frases, textos em minha cabeça – e de alguma forma, preciso me expressar. Talvez seja isso, o diferente, o anormal. Estou no ápice da minha loucura interna, mas isso é um mero detalhe, um detalhe banal.
O que escrevo não tem feito maior sentido, não para mim. As frases não concordam entre si – consigo apenas enxergar um amontoado de palavras, soltas. O que atrapalha? Não sei. Tenho duas hipóteses, pode ser uma grande quantidade de felicidade, transbordando dentro de um único ser, ou um coração partido – sendo refém de um grande sentimento, ou até mesmo partido por fatos ocasionados pelo destino incerto. O que falta agora é escolher. E de acordo com os acontecimentos registrados – a primeira opção está descartada. 

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

...


O silêncio habitou dentro do coração – sentada ali a beira do mar, olhos cintilantes, lacrimejados. Apenas escutava as batidas do coração e do vento que assobiava. Seu coração, de um silêncio pleno e as imagens na cabeça plainava. Um súbito silêncio – algumas vezes ouvia-se sua própria respiração (respirava forte e ao mesmo tempo em uma lentidão). A brisa latente – passando por seu corpo – sempre trás consigo o cheiro do perfume, a imagem do sorriso, o toque dos seus dedos. O seu coração está em pedaços. Aquele que lhe arrebatou suspiros intensos, deixando-a derretida de amor fora embora. Deixando apenas as lembranças consigo. 

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Entre razão e emoção


A dúvida é cruel, a incerteza é dominante
Dentro dos pensamentos constantes;
O silêncio ficou dentro da ausência torturante;
A saudade então irracional vem sussurrante;
No coração o sentimento, na cabeça tem as lembranças;
No corpo tem o toque, na boca o sabor de esperança;
Em meio à discórdia, entre razão e emoção;
Vem o apelo do coração;
Que implora com indignação;
“Como um coração sentir tanto e não ser retribuído?”
“Ás vezes penso sim, ser peça do destino...”
Mas a razão toma logo atitude;
Brigando com minha cabeça, com plenitude;
“Pra que se martirizar tanto assim?”
“Não vê que isso só fará mal a si?”
E a discórdia é plena, ecoando sem parar;
E paira como um eco gritando pelo ar;
Silêncios conotativos deixados a falar;
Gritos silenciosos pairados no ar
Coração e razão inclinados na balança;
Não se sabe ao certo sempre quem vence com esperança;
Alguns falam o coração é quem lidera com veemência;
Com ele a sempre compaixão sem violência;
A quem acredita que a razão sim é mais plena;
Não se deixa levar-se pelas ilusões, que na emoção reina;
Mas os sentimentos que, domina-me em geral;
Trago no peito, essa paixão surreal;
Porem, a esperança ainda me domina;
Mesmo assim, a razão e a emoção; predomina;
Não sei ao certo o que acontecerá daqui a diante;
Espero que o destino seja pra mim predominante...

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Soar nos ouvidos



Sua voz soa pelo meu ouvido
Consigo escutá-lo bem distinto
Seu perfume re-surge com o vento
É algo bem particular acrescento

Vejo seus olhos, translúcido comigo
E a paz reina trazendo-me abrigo
Nitidamente meu sorriso é alegre
Assim como um pássaro serelepe

Como uma criança, fico ao ter ver
Cheia de energia, querendo carinho receber
Como meches comigo doce menino
Até parece coisa do destino

Vejo-te e sinto o coração bater
Forte, fraco, lento sem temer
Você é como um anjo lindo
Veio e ganhou meu coração desatino.
 
;